Vivemos no mundo do imediato. O nosso estilo de vida acelerado converte-nos em pessoas tão exigentes que por vezes é fácil perder a calma.

Regra geral, custa-nos esperar: esperar pela nossa vez de ser atendidos na consulta, esperar que chegue o comboio ou esperar por essa pessoa com quem combinou.

E se aprendêssemos a desfrutar dessa espera? Ser paciente, hoje em dia, é uma virtude que nos oferece diversos benefícios para a nossa saúde.

  • Relaxamento: ajuda-nos a reduzir o stress e a contar até três antes de tomar uma decisão.
  • Calma: criará uma atmosfera de tranquilidade, tanto para si como par os que o rodeiam.
 

Para consegui-lo, damos-lhe 6 conselhos que ajudarão a potenciar a sua paciência:

1. O que lhe faz perder a paciência?

Faça uma auto-análise e pense nas causas da sua impaciência. Para encontrar a solução é necessário ter uma base e pensar nos objetivos que queremos atingir.

 

2. Aprenda a aceitar:

As coisas nem sempre são como nós queremos e devemos aceitar que não temos o controle sobre todo aquilo que nos acontece.

 

3. Desfrute do momento:

Procure entretenimento enquanto espera: ouça música, leja um bom livro ou simplesmente tente observar e desfrutar do que o rodeia. Ajudar-lhe-á muitíssimo a controlar a impaciência.

 

4. Busque o lado positivo da espera:

Muitas vezes uma espera é o único momento do dia que nos permite parar. Aproveite para respirar.

 

5. Viva o presente:

Não tente fazer tudo ao mesmo tempo ou pensar sempre no que teria acontecido se tivesse decidido de outra maneira em algum outro momento da sua vida. Aja de acordo com a sua realidade e tenha em conta que a impaciência é uma fonte de desespero.

 

6. Caminhe com os pés na terra:

Não alimente falsas esperanças. Saber esperar é a chave para ser paciente. Portanto seja realista e tenha expectativas comedidas sobre as pessoas ou situações para evitar impaciências ou deceções.

 

Se conseguimos ser pacientes, a nossa qualidade de vida melhorará significativamente e notaremos os seus benefícios de forma rápida. Atreve-se a ser paciente?