Se estiver a pensar em fazer um empréstimo ou já tiver um, dizemos-lhe como encontrar o melhor seguro para proteger o seu investimento.

Se já se informou sobre as condições de como pedir um crédito, certamente sabe que pode fazer um seguro para o proteger. Não se trata de um seguro obrigatório, mas sim de uma opção inteligente que lhe pode permitir encarar o futuro com mais tranquilidade.

 

Uma das razões mais comuns para contrair um empréstimo é a compra de uma casa. No nosso país, ter casa própria é o objetivo de muitas famílias e é considerado um sinónimo de estabilidade e de tranquilidade financeira. Compra-se uma casa a pensar no futuro, como uma forma de investimento “seguro” que poderá servir de “âncora” (embora não seja um apoio financeiro constante), e uma resposta à precariedade.

Neste caso, é obrigatório contratar o seguro para cobrir danos materiais (incêndio e explosão), e é recomendável também um seguro de vida associado ao crédito, que será útil em caso de morte ou invalidez total e permanente da pessoa que tem de pagar o empréstimo. Neste sentido, um seguro associado a um empréstimo/crédito à habitação é um ato de responsabilidade: não corre o risco de passar a responsabilidade do crédito para os seus filhos ou o seu parceiro/a no caso de ocorrer algum imprevisto.

 

Porquê fazer um seguro associado a um crédito?

Um empréstimo é um passo importante. Um seguro permite ter a certeza de que pode pagar a dívida, mesmo no caso de eventos inesperados, mantendo assim a propriedade de um bem valioso, como a sua casa. Isto é especialmente importante quando tem uma família com crianças, mas também é igualmente verdade no caso de casais.

O pagamento do capital seguro do seguro de vida será pago directamente à entidade bancária mutuante, evitando que os familiares tenham que enfrentar a complicada situação deste gasto extraordinário.

 

Várias opções para escolher a solução mais adequada e conveniente

Desde 2009, com a entrada em vigor do Decreto-Lei n.º 222/2009, de 11 de Setembro, foi conferida uma maior protecção aos consumidores na celebração de contratos de seguro de vida associados ao crédito à habitação, criando novos deveres de informação e de esclarecimento na esfera das instituições de crédito que pretendam associar contratos de seguro de vida ao crédito à habitação, a fim de responder às necessidades de cada cliente que pretenda obter um empréstimo.

As entidades bancárias propõem soluções para proteger, através de um seguro de vida, os clientes que optam por soluções de crédito. Pode ser apropriado comparar essas ofertas com as do mercado, quer pedindo orçamentos através da Internet ou pedindo ajuda a um especialista (mediador de seguros).

 

Coberturas frequentes nos seguros de vida associados ao crédito à habitação

Alguns seguros são criados especificamente a pensar nos titulares do crédito e, portanto, são feitos para proteger famílias ou familiares no caso de o titular não poder continuar a pagar os prémios. Eis alguns exemplos:

• Cobertura em caso de morte: confere o pagamento do capital seguro ao beneficiário da apólice, que em regra, corresponderá ao montante igual ao crédito ainda em dívida à data do sinistro.

• Invalidez Absoluta e Definitiva: pagamento do capital seguro em virtude da Pessoa Segura na Apólice ter ficado dependente de terceiros, de acordo com os requisitos previstos nas condições contratuais acordadas.

Além destas principais coberturas, cada companhia de seguros pode comercializar coberturas adicionais. Dado que cada protecção adicional implica um custo acrescido ao prémio, o ideal é pesquisar bem o que é mais conveniente para o seu caso.

 

 

CRÉDITO SEGURO

• Garanta a estabilidade financeira da sua família no caso de acontecer algum imprevisto;

• O seu empréstimo ficará pago/ liquidado no caso de falecimento ou na impossibilidade de trabalhar, por Invalidez Absoluta e Definitiva, desde que o sinistro tenha sido participado e aceite pela seguradora;

• O capital seguro – que corresponde ao valor total que o seguro cobrirá em caso de sinistro – é actualizado em função do valor em dívida ao banco, conforme obrigação legal;

• O prémio do seguro, ou seja o valor que paga pelo mesmo, não aumenta se optar por fraccionar o pagamento do mesmo;

• Deixe-nos os seus contactos aqui para que possamos simular quanto poderia poupar no caso de transferir o seu seguro de vida para a MetLife;

• Com comodidade e simplicidade poderá, através de uma chamada telefónica, efectuar uma simulação para conhecer todas as vantagens que poderá ter com o Crédito Seguro da MetLife.

 

Como comparar os seguros associados a créditos: 6 dicas úteis

Num mercado com inúmeros produtos, é importante identificar quais são adequados ao seu estilo de vida, para não adquirir algo que não cumpre as suas necessidades e não gastar muito mais do que é necessário.

Pedir um crédito já é em si mesmo uma carga significativa em termos de documentação e informação que a sua entidade bancária lhe irá pedir, e significa ler muitas páginas informativas cheias de cláusulas que poderão ser muitas vezes difíceis de interpretar. Ainda assim, há algumas coisas que podem ajudar a escolher o melhor produto para a sua proteção e a entender melhor as apólices existentes no mercado:


1. Peça para confirmar as coberturas e limites que comercializam, bem como para consultar as Condições Gerais e Particulares da sua apólice.

Algumas das coberturas adicionais disponíveis podem não ser compatíveis com a sua situação profissional ou com alguma outra condicionante, ou talvez representem um custo mais elevado. Consulte atentamente as Condições referentes ao produto que vai contratar e fale com um mediador especializado se tiver qualquer dúvida.


2. Informe-se sobre os períodos de carência e franquias.

Existem dois termos técnicos que, precisamente por esta razão, são muitas vezes descurados, apesar de serem dois conceitos muito importantes numa apólice de seguro. O período de carência é o intervalo de tempo durante o qual as coberturas da apólice, mesmo já contratada, não se encontram em vigor. Informe-se bem sobre a duração do período de carência, que deve estar indicado nas condições contratuais da Apólice.
Por outro lado, a franquia corresponde ao valor que fica a cargo do tomador do seguro, em caso de sinistro. Este conceito é mais “familiar” nos seguros de automóvel, em que a apólice muitas vezes não cobre danos menores. 


3. Pergunte o que acontece no caso de renegociação do crédito ou de alteração da entidade seguradora.

A maioria das apólices de seguros indicadas pelas instituições de crédito pertencem a seguradoras que comercializam em parceria com a entidade bancária mutuante. Isto significa que se quiser renegociar o empréstimo para obter melhores taxas, poderá também ter a necessidade de cessar a apólice de seguro em vigor e contratar uma nova, com um eventual aumento de custos associado a essa mudança de situação (idade, estado de saúde, o valor restante do empréstimo). O nosso conselho é avaliar uma apólice que permita alterar as condições do empréstimo ou do banco sem ter de assinar um novo contrato de seguro e sem perder condições. 


4. Estude cuidadosamente os custos do tipo de pagamento.

A maioria das apólices de seguro permite que escolha o modo de pagamento: um pagamento de prémio único anual, em prestações semestrais ou mensais. Se optar por fazer vários pagamentos, é possível que o valor do prémio aumente. É importante pesquisar preços diferentes para evitar prémios excessivos e escolher o método de pagamento que melhor se adapte às suas necessidades.


5. Solicite explicações específicas sobre as cláusulas de limitação ou exclusão.

Todas as apólices de seguros associados a créditos, como qualquer seguro, incluem cláusulas específicas que excluem  o pagamento do capital seguro pela companhia. Sugerimos que leia atentamente todas as exclusões e limitações, que estão sempre indicados em destaque nas Condições Gerais, Especiais e Particulares da apólice.


6. Faça simulações a médio/largo prazo.

Existem vários simuladores e comparadores online para saber quanto pagará pelo seu seguro. Tenha em conta que os prémios do seguro podem variar com o passar do tempo ou no caso de se verificar algum evento que possa agravar esse mesmo prémio. Por estas razões, é aconselhável fazer uma simulação alargada, ou seja, que não contemple apenas o primeiro ano de seguro.

Publicado: 17-07-2018