A primeira regra de um programa bem sucedido de perda de peso é saber que não há nenhuma solução rápida. Qualquer nova rotina de exercícios leva algum tempo até se verem resultados significativos.

Mais importante, um programa complicado ou de alta intensidade não significa perder mais peso em pouco tempo. Uma mudança drástica no estilo de vida pode trazer mais problemas que beneficios. O corpo pode reagir negativamente a mudanças repentinas.

Também é importante compreender que o metabolismo de cada indivíduo, ou a taxa a que os corpos transformam glicose em energia, varia de pessoa para pessoa. Portanto, não há um plano de exercício único ideal para todos.

Mas existem muitas tendências populares de fitness e perda de peso, que podem não ser eficazes na obtenção dos objetivos. Estes são alguns com os quais se deve ter cuidado:



Dietas baixas em hidratos de carbono ou sem hidratos de carbono
Numerosos estudos têm mostrado que a redução da ingestão de hidratos de carbono pode ter um impacto significativo sobre a redução de gordura. Como é que isto funciona?

Comer menos hidratos de carbono, a principal fonte de energia para o corpo, reduz a quantidade de insulina produzida. Uma vez que a insulina é necessária para ajudar a glicose – hidratos de carbono que foram transformados – a entrar nas células, menos insulina significa que o corpo tem de queimar gordura armazenada para obter energia, o que pode levar a perder peso.

Alguns nutricionistas recomendam uma dieta baixa em carboidratos ricos em proteínas, como carne, aves, peixe e ovos. Algumas pessoas optam por medidas mais extremas e eliminam completamente os carboidratos das suas dietas. Mas para aqueles que estão habituados a comer carboidratos regularmente, uma súbita mudança na dieta pode não ser a melhor opção.

Por exemplo, a redução da ingestão de carboidratos para menos de 20 gramas por dia pode levar a uma condição chamada cetose, onde os corpos cetónicos se acumulam como resultado de metabolizar a gordura armazenada para a energia. Isso pode causar náuseas, fadiga e dor de cabeça.

Benson Poh, um instrutor de fitness com nove anos de experiência, oferece uma alternativa à dieta de baixo carboidrato. “Aumentar a qualidade dos carboidratos ingeridos, incidindo sobre o conteúdo de fibra, permite que seu corpo processe melhor estes hidratos de carbono, do que os presentes em alimentos com açúcar.

O nível de açúcar no sangue também permanece constante ao invés de subir e baixar”, acrescenta.

Arroz e pão integral são exemplos de alimentos saudáveis ricos em conteúdo de fibra. “Mais importante, a fibra cria uma sensação de satisfação mais rápida. Desta forma, come-se menos e perde-se mais peso.”

 

Juicing

Ingerir saladas e fruta em versão sumo tornou-se uma tendência popular para perder peso, especialmente entre aqueles que não comem frutas e vegetais suficientes. Apesar de ser uma maneira conveniente de obter vitaminas, a perda de fibra pelo processo de extração do sumo significa que o corpo não obtém todos os nutrientes presentes nessas frutas e verduras.

Fazer juicing como um substituto de uma refeição é um método de perda de peso ainda mais extremo. Apesar de reduzir a gordura, podem faltar quantidades essenciais de proteínas e outros minerais. Para além disso, qualquer perda de peso alcançada não durará muito tempo.

O juicing pode servir também como uma desintoxicação”, diz Poh. “Mas ninguém deve depender exclusivamente desta prática como programa de perda de peso”. Poh também recomenda o consumo de frutas e legumes integrais em vez de sumos, para retirar os benefícios das vitaminas e fibras.

 

Dieta do espartilho

Kim Kardashian e Jessica Alba popularizaram este método extremo de perda de peso para mulheres.

Vestir um espartilho apertado pode reduzir a ingestão de comida, constringindo a cintura e impedindo que o estômago se expanda. Isto leva a uma sensação de satisfação mais rápida e a comer menos, levando a perder peso.

No entanto, a dependência de um dispositivo para enganar o corpo significa uma perda de peso temporária, diz Poh. “O estímulo para comer menos deve ser fisiológico, não físico. Em vez de usar algo que nos impede de comer tanto, devemos entender porque comemos tanto em primeiro lugar.”

Dr. Melvin Look, um cirurgião geral especializado em cirurgia gastrointestinal e laparoscopia, acrescenta que o uso de espartilho não produz resultados cientificamente comprovados, e pode realmente ser prejudicial para o organismo.

 

É provavelmente seguro se não for muito apertado ou se não for utilizado por longos períodos. O risco de danos aos órgãos internos é pequeno em adultos saudáveis. Mas não é recomendado para pessoas com problemas pulmonares. Pode limitar o movimento respiratório da caixa torácica, e também pode piorar a azia em pacientes com refluxo gastroesofágico”.

A alternativa mais segura à dieta do espartilho (que na verdade não é um plano de dieta) é comer de forma equilibrada e sensata, incorporando a atividade física regular.

 

Crossfit

O Crossfit, e outros programas de condicionamento de alta intensidade tornaram-se muito populares nos últimos anos. As aulas consistem numa mistura de exercícios aeróbios, exercícios de peso corporal e levantamento de peso.
Muitas pessoas escolhem programas como o Crossfit para aumentar a massa muscular, e porque os exercícios tendem a ser curto e de alta intensidade, permitindo queimar muitas calorías.

Infelizmente, este regime de exercício sempre enfrentou alguma controvérsia, uma vez que os exercícios de intensidade e cargas de halterofilismo resultaram num grande número de lesões.
O aspecto mais perigoso do Crossfit e de outros programas similares é a falta de programação individual adequada, explica Poh.

O treino de alta intensidade deve ser personalizado com base no nível de habilidade e força individual. Devem ser feitos ajustes adequados quando a pessoa for incapaz de executar um certo movimento ou levantar um certo peso.

Muitos dos exercícios, incluindo o levantamento de peso e exercícios de treino de força, são realizados num único plano de movimento. Não existem movimentos laterais ou de rotação do corpo.

Portanto, não é um programa completo, diz Poh. “Os nossos corpos foram desenhados para movimentos “esféricos” – E não apenas numa só dimensão. Nenhum músculo do corpo humano está preparado para se mover verticalmente.”

Uma posição contínua ou de cócoras, movendo o corpo numa direção, não oferece um treino completo e as tensões podem levar a lesões. Variar as posições das mãos e pés faz com que os movimentos do corpo não sejam limitados. Por exemplo, um exercício como agachamentos pode ser feito com variações, fortalecendo músculos diferentes. 

 


Quando se trata de perder peso, é importante ser paciente. O mais importante não é acelerar um programa ou fazer algo muito complicado ou potencialmente perigoso, aconselha Poh. “Deve fazer algo simples, como um novo plano de exercícios ou uma mudança na dieta, e fazê-lo de forma consistente. Isso é o mais eficaz.”

 

Informação Adicional:

Authority Nutrition: 23 Studies on Low-Carb and Low-Fat Diets – Time to Retire The Fad – http://bit.ly/1Ueo9jV

Publicado: 10-08-2018