Se habitualmente já devemos ter cuidado com a nossa nutrição, em caso de gravidez há que extremar os cuidados com a alimentação. No entanto, ainda que exista o mito de que uma dieta vegetariana durante a gravidez é desaconselhável, isso pura e simplesmente não é verdade.

O primeiro motivo é o facto de não haver estudos que provem cientificamente que uma dieta vegetariana durante a gravidez seja prejudicial.

Além da ausência de estudos, apresentamos-lhe mais algumas razoes pelas quais não só é possível manter uma alimentação vegetariana como, além disso, é realmente bom para a saúde.

No que diz respeito ao cálcio, importante durante a gravidez, a comida vegetariana oferece opções suficientes: tofu, brócolos, couve, figos, leite de soja e cereais de todo o tipo.

Quanto às vitaminas, é importante comer alimentos que contenham todas que nos são necessárias:

· A vitamina B12 não está presente nos vegetais, mas sim em alimentos como o leite de soja e o tofu.

· A vitamina D podemos encontrá-la nos suplementos vitamínicos ou no sol (e agora no Verão é bem fácil!)

Dado que as grávidas precisam de ingerir uma maior quantidade de ferro, devemos ter em conta os vegetais que o possuem em grande quantidade. É o caso de alguns alimentos como os cereais, as frutas e os vegetais, que contêm uma quantidade ótima.

E, por último, o ácido fólico, que tem propriedades importantes para a síntese do ADN e a prevenção de doenças cardiovasculares. Podemos encontrá-lo em alimentos como os vegetais (espargos e brócolos), os citrinos (como, por exemplo, as laranjas), as lentilhas e os feijões, o abacate, a couve repolho e o pão.

Concluindo, se decidir ser vegetariana, não se preocupe com a sua gravidez. Tenha porém sempre em conta que deve efetuar um acompanhamento médico regular que, para além de protegê-la contra todos os imprevistos, inclua também uma análise nutricional.

Publicado: 24-08-2018