Quando pensamos em comprar sapatos, além do lado estético ou funcional, um dos critérios que costumamos ter em conta é o conforto: se podemos andar bem, se aguentamos um dia inteiro de pé, e se as palmilhas são suaves. Mas nunca tínhamos pensado se andar descalços podia ser mais confortável.

De acordo com um estudo de 2016, publicado na revista Journal of Sport and Health Science, correr descalço “diminui consideravelmente as possibilidades de que o atleta sofra lesões, uma vez que produz alterações significativas no tipo de apoio do pé”.

A sério, correr descalça?

Ao correr sem sapatilhas, a tendência natural do pé é iniciar o contacto com o chão com a parte dianteira para minimizar os picos de impacto. Isto obriga, por outra parte, a que todo o nosso corpo faça exercício, desenvolvendo mais as pernas, os abdominais e a zona lombar. Resumidamente: maior rendimento e menos lesões.

E as sapatilhas?

Atualmente, o fabrico das sapatilhas fez grandes avanços a nível de inovação de materiais para melhorar o conforto. No entanto, para alguns especialistas, estes avanços incentivam esse primeiro contacto com o chão com a parte posterior do pé, o que gera “picos de impacto significativos que incidem negativamente na saúde e no rendimento desportivo”. Isto, unido a um movimento transversal excessivo do tornozelo, parece estar diretamente ligado ao surgimento das lesões de caráter crónico.

A situação ideal

De acordo com os especialistas, o ideal seria andar com os pés descalços pelo menos uma hora por dia sobre superfícies naturais, como areia da praia ou relva. E se estes não estão ao seu alcance, podem sempre andar sem sapatos pela casa ou fazer exercícios com uma “bossu”, uma meia bola de Pilates que ajuda a fortalecer os músculos e os ligamentos, e a manter o equilíbrio.

 

Fonte: https://elpais.com/elpais/2017/11/03/buenavida/1509710762_289574.html

Publicado: 16-07-2018